Desconstruindo o Espaço

“O sol nasce e ilumina as pedras evoluídas. Que cresceram com a força de pedreiros suicidas. Cavaleiros circulam vigiando as pessoas. Não importa se são ruins, nem importa se são boas. E a cidade se apresenta centro das ambições. Para mendigos ou ricos e outras armações. Coletivos, automóveis, motos e metrôs. Trabalhadores, patrões, policiais, camelôs…”

(A cidade – Chico Science)

Resumo: DESCONSTRUINDO O ESPAÇO é uma oficina Fotográfica que busca o desconstruir para reconstruir o pensamento sobre o lugar onde se vive. Essa dinâmica busca a interação com espaço urbano para despertar o interesse para o papel social do indivíduo.

PROJETO

Objetivo: Executar junto à sociedade oficinas de fotografia que despertem a percepção para o espaço urbano. Aplicado conceitos psicogeográficos atribuídos da teoria da Deriva de Guy Debord e da Internacional Situacionista, para identificar e perceber a relação que se tem com espaço onde os participantes dessa pratica moram e vivem. Despertando assim orgulho e identificação em diversos aspectos com o bairro, cidade e/ou país e principalmente com a história local.

Aplicação: O processo baseia-se em estudar o local habitado e identificar os pontos de “conflito pessoal”, variando de acordo com o ponto de vista de cada um dos participantes. A metodologia é básica e horizontal, onde através de uma roda de conversa e incentivos, procura-se entender a historia do lugar a ser “explorado”, surgindo assim um debate do uso antrópico e organização local. Listando assim os principais tópicos da historia do lugar a ser desvendada, e a partir de um ensaio/deriva os participantes fotografam de acordo com suas demandas pessoais ou demandas conjuntas previamente identificadas através da conversa.

Exemplo prático, dessas conversas, surgem sempre quem foi o primeiro morador da região, quem é a pessoa mais velha, onde as pessoas costumam se encontrar, lugares menos frequentados e perigosos, esses objetos sociais trazem debates de melhorias, de respeito, cuidado e manutenção, principalmente em lugares que os moradores não tem identificação histórica, pessoas que foram desalojadas ou desapropriadas, que não se identificam com o novo lugar de morada.

Publico participante: Por se tratar de uma oficina onde o entendimento do espaço urbano precisa ser relatado de vários pontos de vistas, o publico pode ser variado, mas precisa ter o entendimento geral sobre o espaço, portanto, as faixas etárias precisam ser trabalhadas separadamente com linguagens apropriadas para que o entendimento seja facilitado e o despertar seja algo construído conjuntamente. Ficam determinados os grupos da seguinte forma: de 6 a 12 anos e maiores de 13 anos.

Justificativa: Através dessa dinâmica fotográfica, as pessoas podem se identificar com o espaço ao qual moram e convivem diariamente, integrando e interagindo através do estudo/aplicação realizada e assim entender a importância de cada fragmento social dentro da escala organizacional da sociedade.

Histórico:  A oficina Desconstruindo o Espaço é um Projeto desenvolvido pelo fotógrafo por mim, Edson Rodriguez, que a principio ministrei a mesma em duas comunidades da Cidade de Juiz de Fora – MG, sendo os Bairros Nova Germânia e Miguel Marinho. As duas localidades faziam parte do Programa de Educação Socioambiental ministrado pela empresa BIOKRATOSCONSULTORIA AMBIENTAL. Essa empresa que é parceira do projeto, incentivou o acontecimento das dinâmicas propostas pelo fotógrafo permitindo a ele liberdade para criação dessa metodologia. Com os resultados obtidos nesse piloto inicial, o fotógrafo viu a necessidade de levar esses questionamentos a outros lugares, tentado através da fotografia despertar o foco para problemas estruturais e estéticos, identificando também locais de convivência e de bem estar comum as populações, provocando assim uma visão de dentro para fora, despertando para a preservação do bem comum e dos valores adquirido através da interação entre as pessoas.

 

Cidade: Juiz de Fora

Bairro: Nova Germania 

Cidade: Juiz de Fora – MG

Bairro: Miguel Marinho

 

(Fotografias acima foram feitas pelos participantes da oficina, mostram o bairro, seus moradores, os lugares que precisam de atenção, o lugares bonitos e todas as demandas existentes comuns específicas dos lugares que foram aplicadas. Essas foram expostas para a própria comunidade no sentido de apresentar os anseios dos participantes aos moradores locais).